04 out 2013

Estamos ficando cada vez mais clássicas?

1

Este é o pensamento que mais está martelando em minha cabeça nos últimos tempos. Nunca me vi clássica, pelo contrário. Para vocês terem uma ideia, tenho UMA ÚNICA calça de alfaiataria (que raramente uso). Até contei para vocês que no “teste de estilos”, me identifiquei com o Criativo. Gosto de misturar, inventar, sair da minha zona de conforto. E também porque cada dia eu acordo com um humor… até brinquei com duas amigas que vejo diariamente, pois de segunda a quinta-feira eu apareci com elementos diferentes (passando do grunge ao hippie hahaha). Mas, percebi que dei uma “mudada” ultimamente. Achava que era por conta da fase que estou vivendo… vida profissional, casamento marcado, etc. Depois, comecei a pensar amplamente e cheguei a uma conclusão: acho que as mulheres estão ficando cada vez mais clássicas.

Quem aí concorda comigo? Vou explicar: reparei que ninguém anda tão a fim de investir na “última tendência que promete continuar firme e forte” mas que acaba antes mesmo do pagamento da última parcela do cartão de crédito. E também acho que as pessoas estão enjoando de pagar caro por aquilo que dura pouco (tanto no sentido de qualidade, como pelo fato de sair de moda e ficar encostado no armário). Muitas meninas perguntam pra mim: “Camila, você acha que devo investir em uma saia assimétrica? Será que continua em alta no inverno?”. Gente, como já disse várias vezes, sou totalmente contra esse negócio de “pronto, agora saiu de moda e ninguém pode mais usar”. Inclusive vou meio que na contra mão: se toooodo mundo tá usando, perco a vontade de usar também! A moda, para mim, tem o papel de criar a identidade de cada pessoa. Como é que, então, vou ter minha identidade se só uso o que me mandam usar? Acho o máximo quem só capta as tendências com as quais se identifica. Acredito que as pessoas estão cansadas de tudo o que é efêmero e estão apostando em peças que vão durar bem mais do que uma estação. Artigos vintage têm sido, em minha opinião, cada vez mais valorizados. O que as pessoas querem é qualidade e durabilidade. Ninguém quer ficar torrando dinheiro com “obsolescências programadas”, não é mesmo? Além disso, autenticidade é tudo, miagente!

E vocês, o que pensam a respeito? Também acham que estamos mais clássicas?

Beijos,

Camila

  • Thaisa

    Parabéns pelo texto, adoro seu blog… beijos, Thaisa.

    • Obrigada, que bom que gostou! =D

      Beijãão