25 out 2013

O MACACÃO BRANCO

Tá virando rotina esses posts mais extensos e de reflexão às sextas-feiras… espero que gostem! hehe

Muitas leitoras me procuram em busca de dicas e “truques” para comprar roupas que criem ilusão de um corpo mais alto, magro, baixo, etc. Algumas pessoas defendem a ideia de que existem regras para se vestir. Por exemplo: se você é gordinha, fuja das estampas grandes, prefira cores escuras e fechadas, escolha um modelo de vestido transpassado para “afinar” a cintura. Tá, se isso te deixa mais confiante, quem sou eu para argumentar, não é mesmo? Mas sou da opinião de que não existem REGRAS. Oras, se quero usar, porquê não posso? Outro dia li uma crônica da Martha Medeiros que se encaixa perfeitamente no assunto do post:

Untitled-1

“Quem de nós pode vestir um modelo decotado na frente e nas costas, colado ao corpo, sem antes passar por uma lipoescultura? Sejamos honestas, colegas de trabalho: quem de nós pode vestir um macacão branco decotado na frente e nas costas, colado ao corpo, sem antes passar por uma lipoescultura, uma sessão de bronzeamento e ficar duas semanas sem comer? Resposta no final dessa coluna.

Não teria adjetivos suficientes para comentar o show que Maria Rita fez no Anfiteatro Pôr do sol , semana passada, cantando músicas da sua mãe, Elis Regina. O espetáculo foi perfeito do início ao fim, e São Pedro ainda deu uma canja, oferecendo um entardecer de cinema, com direito a uma lasca de lua, céu estrelado e brisa suave. Se Elis não fosse gaúcha, teria se naturalizado naquele instante, em algum cartório no céu.

Mas voltemos a Maria Rita. Toda de branco, ela entrou no palco com uma túnica diáfana que ia até os pés: praticamente um anjo de bons modos. Até que, quatro ou cinco músicas depois do início do show, ela retirou a túnica e ficou só de macacão branco decotado, com as costas de fora, colado no corpo. Pensei: é peituda essa mulher.

Peituda porque, além de peito, Maria Rita tem coxa, tem bunda, tem barriguinha, tem sustância, tem o corpo da brasileira típica, que passa longe das esquálidas das revistas, das ossudas das passarelas. A numeração de Maria Rita não é 36, mas vestiu aquele macacão branco como se fosse.

Quaquaraquáquá, quem riu? Quaquaraquáquá, foi ela. Cantando Vou Deitar e Rolar e outros tantos hits da sua talentosa progenitora, Maria Rita rebolou, sambou, jogou charme, braço pra cima, braço pro lado, ajeitadinha no cabelo, caras e bocas, dona e senhora do pedaço e com o namorado bonitão (Davi Moraes, na guitarra) ali na retaguarda, babando – se não estava, deveria. 

Porque Maria Rita, além de cantar divinamente, mostrava 100% seu lado fêmea, segura e incomparável. Que nem as modelos de revista? Quaquaraquaquá. Muito melhor.

Fiquei pensando depois: como mulher se preocupa com besteira. Usa roupa preta pra afinar, veste bermudas compressoras pra chapar a barriga, manga pra esconder os braços roliços, e mais isso, e aquilo, quando o maior segredo de beleza consta do seguinte: sinta-se num palco, mesmo que nunca tenha chegado perto de um. 

Imagine-se com 60 mil pessoas te aplaudindo, te admirando pelo que você faz, pelo que você é, imagine-se com o público na mão, pois você é competente e tem uma elegância natural (tem, né?). 

Conscientize-se de que sua inteligência é superior às suas medidas, que ser magrinha não atrai amor instantâneo, que sua personalidade é um cartão de visitas, que a felicidade é a melhor maquiagem, que ser leve é que emagrece.

E dá-se a mágica.

Quem de nós pode vestir um macacão branco decotado na frente e nas costas, colado ao corpo, sem antes passar por uma lipoescultura, uma sessão de bronzeamento e ficar duas semanas sem comer? Qualquer uma de nós, ora”.

Não é perfeito o texto, gente? QUEBRE AS REGRAS, use o que te faz feliz e deixa confiante, esqueça a opinião alheia. Se a princesa Kate, que é toda elegante e mesmo assim criticada, o que resta para nós? hehe Não existem receitas no universo da moda, não é como fazer um bolo. Quer usar brilho durante o dia? Vá em frente! Muitas vezes o “errado” pode se transformar em algo deslumbrante… basta que você esteja confiante e que se vista de um belo sorriso!

Afinal de contas, como iremos nos divertir com a moda se não tivermos espaço para isso?

E vocês, o que pensam sobre o assunto?

Beijos,

Camila